domingo, 9 de setembro de 2012

Higiene da Alma


          "A higiene da alma é diferente da higiene da corpo, mas uma está relacionada com a outra. Faz parte da higiene da alma que ela saiba que está inserida num todo maior e que também o reconheça.
Em primeiro lugar, estamos ligados a família a qual pertencemos, então ao clã familiar e ao nosso meio-ambiente. Das Constelações podemos ver que a alma nos transcende, que estamos em uma alma e não uma alma em nós.
          Portanto, faz parte da higiene da alma submetermos a essa alma maior. Que nós, por exemplo, aprendamos a entender que essa alma maior nos governa para o bom e, quando mão entendemos as suas leis ou as desrespeitamos, para a doença, também."

            Nas Constelações Familiares atuam forças que não entendemos. Se vou explicar algo, isto tira a força do meu trabalho. Gostaria de revelar mistérios através das explicações, mas elas também continuariam sendo misteriosas...Ficar parada diante do mistério é a mais importante fonte de força para o terapeuta. A morte ou os mistérios dos destinos, de relações de vínculos que alguém assume sem saber, e que foi tomado a serviço de algo que não entende...isso é um limite e ficar parada diante dele é o grande trabalho, não suportável por muitos terapeutas.

          "Esse recolher-se e ficar no limite custa muita força, especialmente no início. Este vazio entre o mistério é difícil de suportar. Procuramos explicações para banir a ameaça do mistério.
          Quando alguém recebe um diagnóstico com relação ao seu estado, sente-se frequentemente melhor, mesmo quando o diagnóstico é falso, porque de repente tem uma explicação para algo inexplicável. Muitas religiões, por exemplo, têm a função de explicar o inexplicável ou revelar mistério ou para compreender o que fica, na verdade, oculto e incompreensível.
          A postura de ficar parado é a mais adequada ao mistério. Do respeito frente a esse mistério, algo flui do oculto. Muitas soluções ou palavras que emergem desse trabalho me são presenteadas , porque fico parado perante o mistério.
          Começo a constelar uma família sem que saiba para onde me leva. Dou o primeiro passo, então espero, chego a um limite, não sei como vai prosseguir e, de repente, através da postura de ficar parado, chega a mim, como um relâmpago, uma indicação de como agir. Frequentemente á tão inesperado que dá medo e, algumas vezes, até parece ser algo perigoso. Se, nesse momento, reflito:" Posso fazer isso ou não?" - e por assim dizer, interrogo o mistério - então ele se afasta imediatamente de mim e fico sem força.
          É verdade que se podem aprender certas regras sobre as constelações familiares, porque certos padrões se repetem. Posso utilizá-las porque as conheço. Mas se  se me deixo levar por elas, não estou mais em conexão com as forças mais profundas e talvez alcance muito pouco. O essencial que comove e transforma só pode ocorrer quando nos recolhemos.
Quando alguém senta ao meu lado e entra, imediatamente,  num sentimento profundo quando tomo a sua mão, isso não significa que que o simples fato de ter pegado a sua mão esteja atuando,, mas porque ele sabe que isso não me causa medo. Seu sentimento fica acolhido, porque não tenho intenção e porque estou internamente vazio.
          Nesse tipo de terapia trata-se dessas posturas, nem tanto de aprender como se faz isso ou aquilo. Porque o aprender não faz jus à riqueza da alma."

Trechos extraídos do livro -  A fonte não precisa perguntar pelo caminho- Bert Hellinger

**********
Às vezes, apos uma Constelação, o cliente me diz: "Não entendi nada"...
Sempre respondo que não é necessário entender. O que precisamos é confiar que a  a grande alma fará seu trabalho. A Constelação atua aos poucos, conforme nos é permitido.
Assistir/fazer uma constelação nos tira do julgamento e nos proporciona compreensão, que é completamente diferente.
Também é possível que alguém diga: "Para mim não mudou nada", e a pergunta a seguir é: "Você permitiu/colaborou?"
Percebemos muitas vezes nas constelações, a necessidade de que algo precisa ser feito ou modificado em nossa postura... e se isso não ocorre...ela não fará a mágica da mudança "sem um querer do constelado". 
Todo trabalho é feito com a diretriz para solução... temos que ter isso em mente. Assim como também devemos ter claro que acontecerá somente o necessário para aquele momento, sem julgamentos de que o que se mostrou é bom ou ruim. Às vezes é necessário que fique ruim para depois melhorar... Olhar para algo e ver que "não é bem assim que eu via ou imaginava", pede uma mudança de postura. 
A constelação não "se engana". Ela é um trabalho da alma...muito simples e verdadeiro!
Busquem conhecer este trabalho, pois dificilmente ela não provocará uma mudança em seu olhar!
Um grande abraço aos meus leitores e boa semana.
Taís

7 comentários:

  1. DIVINO!!!
    Daqui...uma reverência ao Grande Mistério.
    Abraço, com carinho.
    Claudia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ressonâncias não Claudia... nada de coincidências. Obrigada

      Excluir
  2. Marilda Menck, 10 de setembro de 2012. 10:26

    Texto para ler e reler...A reflexão ajuda muito, mas esse trabalho com a alma não é fácil,principalmente quando ainda sentimos magoados.....
    Gosto muito dos textos que vc posta. Leio sempre.
    Abraços com carinho pra minha querida amiga Tais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marilda, a mágoa é so o ego que gosta de guardar... não é você. Olhe para tudo o que há, e diga internamente: SIM...SIM...para tudo o que está aí... Faça isso sozinha, em lugar calmo e fique recolhida por uns minutos. Muitas vezes...
      Obrigada pelo feed-back sobre os textos aqui postados. Um abraço

      Excluir
  3. Grato pelo texto.

    O hábito de ler semanalmente o seu blog me é uma boa oportunidade de centramento e sempre me beneficia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodrigo, este é um dos motivos pelo qual mantenho este blog. A troca é recíproca.

      Excluir
  4. Obrigada Tais. Esclarecedor!

    ResponderExcluir