domingo, 3 de julho de 2011

Lutando com o Anjo


Às vezes, uma ferida é o lugar onde encontramos vida pela primeira vez. Por isso precisamos perceber o seu poder e entender os seus caminhos. A ferida pode trazer uma sabedoria capaz de nos fazer viver melhor, permitindo que tenhamos uma visão mais verdadeira de nós mesmos e da vida.
Uma das últimas histórias que meu avô me contou foi sobre um homem chamado Jacó, que tinha sido atacado durante a noite,  quando dormia sozinho à beira de um rio. Ele estava viajndo e resolveu parar para comer e descansar, pois o lugar parecia seguro. De repente Jacó acordou e se viu preso ao chão por braços muito fortes. Estava tão escuro que ele não podia enxergar o rosto do  inimigo, mas podia sentir o seu poder. Juntando todas as suas forças, começou a lutar para se libertar.
-Era um pesadelo vovô? – perguntou esperançosa.
Naquela época, eu sofria de pesadelos e tinha que dormir com um apequena lâmpada acesa. Cheguei mais perto do meu avô e peguei sua mão.
- Não, Neshumule – ele respondeu – Era verdade, mas aconteceu há muitos anos. Jacó podia ouvir  a respiração do seu agressor, podia sentir o tecido de sua roupa, podia até sentir o seu cheiro. Ele era um homem forte, mas, mesmo usando toda a sua força, não conseguia se soltar e nem derrubar o inimigo. Rolavam pelo chão, lutando com fúria.
- Quanto tempo eles lutaram, vovô? – perguntei, ansiosa.
- Por muito tempo Neshumule – ele respondeu - , mas a escuridão não dura para sempre.Começou a amanhecer e, quando a luz chegou, Jacó percebeu que estivera lutando com um anjo.
Fiquei surpresa.
- Um anjo de verdade, vovô? – Com asas?
Não sei se ele tinha asas, mas era , sem dúvida, um anjo. Com a chegada da luz o anjo soltou Jacó e tentou ir embora, mas Jacó o impediu. “Deixe-me ir” pediu o anjo. “Não vou deixar você ir enquanto não me abençoar”, falou Jacó. O anjo lutou com força, pois queria escapar, mas Jacó o manteve preso. E, então, o anjo lhe deu uma bênção.
Eu me senti muito aliviada.
E aí ele foi embora vovô? È o fim da história?
- É – respondeu meu avô -, mas Jacó machucou a perna na luta. Antes de ir embora, o anjo tocou-o no lugar do ferimento.
Isso era algo que eu podia entender. Minha mãe costumava fazer o mesmo.
- Para ajudar a sarar, vovô? – perguntei.
Meu avô balançou a cabeça.
- Acho que não. Ele o tocou ali para que Jacó se lembrasse. Jacó carregou o ferimento pelo resto da vida. Era o lugar da lembrança.
Aquela história me deixou perplexa. Como poderia alguém confundir um anjo com o inimigo? Mas vovô disse que isso acontecia sempre.
- Mesmo assim – ele disse -, essa não é a parte pricipal da história. A part5e mais importante é que tudo tem a sua bênção.
No ano anterior à sua morte, meu avô contou-me essa história várias vezes. Oito ou nove anos depois, no meio da noite, a doença com que tenho convivido ( doença de Cronh) por mais de quarenta anos evidenciou-se da maneira mais insólita que se poderia imaginar. Eu tive uma forte hemorragia interna. Aconteceu sem nenhum aviso. Fiquei em coma e permaneci no hospital por vários meses. A escuridão e a luta prolongaram-se ainda por muitos anos.
Quando olho para o passado, fico pensando se meu avô, velho e próximo da morte, não tinha me deixado essa história como uma bússola. È uma história enigmática aobre a natureza das das bênçãos e a natureza dos inimigos. Como é tentador soltar o inimigo e fugir. Abandonar a luta no passado o mais rápido possível e seguir em frente. A vida poderia ser mais fácil assim, mas muito menos autêntica. Talvez a sabedoria consista em se engajar na vida, tal como a recebemos, da maneira mais completa e corajosa possível e não soltá-la enquanto não encontrarmos a bênção desconhecida que existe em todas as coisas.”

* Rachel Naomi Remen – As bênçãos de Meu Avô – Editora Sextante

Penso que tudo que desafia o corpo pode desenvolver e fortalecer a alma.
As vezes demora muito tempo até tomarmos consciência do movimento de trasformação que acontece dentro da gente, pois a atenção está sempre voltada para a luta contra as dificuldades.
Relaxar, aceitar e aprender...grandes lições!
Tais

15 comentários:

  1. Gostei muito disso!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito Taís, muito mesmo. Caiu como uma luva para este momento que vivo! Grata por compartilhar a Sabedoria que te habita. Um abraço carinhoso, Tere

    ResponderExcluir
  3. A melhor recompensa quando nos propomos a divulgar algo, como este texto, é saber que para alguém "serviu"...Obrigada Tere!

    ResponderExcluir
  4. Mariangela.Sposito4 de julho de 2011 09:32

    Curti...
    http://www.facebook.com/mariangela.sposito

    ResponderExcluir
  5. "Talvez a sabedoria consista em se engajar na vida, tal como a recebemos, da maneira mais completa e corajosa possível e não soltá-la enquanto não encontrarmos a bênção desconhecida que existe em todas as coisas.”
    Eis o meu, o teu, o nosso desafio....como se engajar nessa vida que é a nossa? Lindo texto amiga!
    Que bom que você existe! Beijo e carinhos

    ResponderExcluir
  6. Super... há coisas que grudam e permanecem... a escuridão luto com o anjo... será para sempre :)

    ResponderExcluir
  7. A D O R E I

    Beijos

    Parabéns

    Isis

    ResponderExcluir
  8. Muito legal sua iniciativa, Taisinha. Parabéns!
    Bjs, Celso Martins

    ResponderExcluir
  9. Encontrar "a bênção desconhecida que existe em todas as coisas.” É realmente uma grande procura, ou uma grande espera, mas o importante é saber essa "benção" existe e que pode acontecer sempre e a qualquer momento.
    Valeu Tais.

    ResponderExcluir
  10. Obrigada ,Taís por ter se lembrado de mim.
    Gostei do texto,parabens.
    "O rio só atinge seus objetivos,porque aprendeu a contornar os obstáculos"
    Abraços,Vilma

    ResponderExcluir
  11. Agradecida e feliz pelas manifestações e desejos. Conseguir estar aqui ( e todo esforço que tenho demandado) tem sido amplamente recompensado...como uma bênção!
    Obrigada...obrigada...obrigada!!!!

    ResponderExcluir
  12. vlpsantana@gmail.com7 de julho de 2011 08:48

    É reconfortante saber que mais alguém pena para dar conta de tantas ferramentas novas...ainda bem que sp acaba dando certo.Bjs com saudades
    Vânia Sant'Ana

    ResponderExcluir
  13. Oi Tais, somente hoje vi seu comentário em meu blog de dias atrás, mas como agora não sei a razão não recebo aviso, isso acontece. Mas obrigada pela visita e voltarei parar ler aqui com mais calma. Um ótimo final de semana!!!

    ResponderExcluir
  14. Parabéns pela iniciativa.
    Bj.
    José Lino Martinez

    ResponderExcluir
  15. Luciano Bergstein9 de julho de 2011 20:05

    Filha...parabéns. Gostei do assunto. A vida nos ensina somente desta forma. Bjs . Pai

    ResponderExcluir